Aromaterapia e a Massagem

Um bom aroma pode fazer muito mais do que apenas perfumar. As essências – consideradas as forças vitais das plantas-  normalmente são obtidas da flor, folha, sementes e cascas têm propriedades calmantes, tônicas, antibactericidas, adstringentes e mesmo afrodisíacas além de ajudar a minimizar os problemas de estresse e ajudar nos tratamentos estéticos.

Recentemente a indústria cosmética tem se valido muitos destes benefícios através da incorporação dos aromas em seus produtos.  Por exigir uma quantidade muito grande de plantas -pare se ter uma idéia, são necessários quase 1 tonelada de pétalas para conseguirmos 1 litro de óleo de rosas – normalmente a essência é diluída em outro óleo vegetal que servirá como veículo, daí a importância de se utilizar um óleo de boa qualidade como veículo.

As essências, quando inaladas, atuam diretamente no sistema límbico, que é a área do cérebro responsável pela emoção, aprendizado e memória. A resposta virá pelo sistema nervoso, imune ou endócrino, podendo ocorrer sedação ou estimulação corporal. A inalação é útil no alívio dos sintomas de doenças respiratórias. Já a aplicação local das essências apresenta propriedades anti-sépticas, antifúngicas e antiinflamatórias.

Podemos destacar as seguintes formas da utilização da aromaterapia:

Massagem: Tem duplo efeito benéfico, combinando os efeitos terapêuticos da massagem -através do estímulo à circulação venosa e linfática e do alívio aos pontos de tensão- e os efeitos dos  aromas que chegam ao cérebro através do olfato provocando sensações de prazer e fazendo com que seus efeitos relaxantes e estimulantes ajam sobre todo o corpo.

Cosmética: combina as essências com produtos contendo ingredientes naturais para pele, corpo e cabelo. Considera-se que as essências – por terem moléculas menores do que as dos óleos sintéticos e minerais-  passam pela pele e chegam até a circulação sangüínea para, então, atuarem positivamente.

Olfativa: Através de incensos ou da inalação feita com difusores que dispersam o odor pelo ambiente.

Os principais cuidados são com relação ao risco de super-dosagem quando os óleos são ingeridos. Exemplo: Algumas pessoas, sabendo dos efeitos digestivos do óleo de menta colocam algumas gotas no chá. Uma dosagem maior – coisa que facilmente pode ocorrer – pode causar intoxicação, por isto sempre consulte um terapeuta neste assunto.
Outro cuidado importante não aplicar diretamente óleo de essência puro sobre a pele, o que pode causar possíveis reações alérgicas em algumas pessoas, daí a importância de diluir a essência.

Alguns aromas e suas indicações:

Essências oleosas, como a citronela, lavanda ou hortelã, são úteis também como repelentes de insetos. Você pode pingar algumas gotas dessas essências em chumaços de algodão e deixá-los perto de portas e janelas (cuidado para que não sejam ingeridos por pequenos animais domésticos). Importante: as essências oleosas são altamente concentradas. Você não deve aplicá-las sem diluição diretamente na pele porque podem provocar irritações. O óleo de amêndoa doce é ótimo veículo para diluições.

Lavanda – Além da aplicações descritas acima, tem ação cicatrizante e calmante, é analgésico e antidepressivo. Pode ser indicado para pessoas agitadas ou com enxaqueca, depressão, insônia, acne, queimaduras, lesões e picadas de insetos.
É considerado um dos mais versáteis.

Ylang-ylang– Na aromaterapia, é aplicado com sucesso para combater stress, tensão nervosa, depressão, irritabilidade, frigidez e impotência.

Tea tree – Propriedades anti-sépticas, antifúngico, grande poder anti-infeccioso sendo indicado para afecções da pele em geral.

Rosa: Tem propriedades tônicas, adstringentes e depurativas. É indicado contra tensão nervosa, cuidados com a pele, especialmente as sensíveis e envelhecidas, sendo que neste caso a água de rosas também é ótima contra rugas e inflamações.

Author Info

AdminPontozen

No Comments

Escreva seu comentário